NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES


29 de agosto de 2020

ULBRA NÃO CUMPRE CONTRATO E APARELHO DE VISÃO TEICH NÃO PÔDE SER DESENLVOLVIDO

Segundo João Lippert e familiares, João Lippert aceitou trabalhar na Universidade ULBRA, para continuar suas pesquisas iniciadas no Paraná com a apitoxina (veneno da abelha), com própolis, geleia real, cera e pólen, além do equipamento TEICH Transmissão Eletrônica de Imagens para o Cérebro Humano.

O protótipo do TEICH seria testado em João Lippert e seu filho Robson Ricardo Lippert, que tem problemas de visão causado por pigmentação dos olhos, doença que ainda não tem tratamento.

O equipamento TEICH foi revelado à João Lippert mediunicamente em meados de 1984 em Cascavel no Paraná, para que João Lippert o desenvolvesse. O TEICH permitiria que pessoas com problemas de visão ou mesmo cegos, sem ruptura do nervo óptico, pudessem enxergar. O mesmo sistema ainda poderia ser aplicado para mergulhos ou em situações de risco, como em tempestades de areia, aviação e outros.

O vídeo abaixo mostra a pesquisa de João Lippert na ULBRA com cérebro de cadáveres humanos para o desenvolvimento do TEICH

Advogados estrangeiros vão pedir na justiça, que a ULBRA indenize João Lippert e seu filho Robson por não cumprirem com o contrato, não providenciado os materiais para o desenvolvimento do protótipo do TEICH.

Reitores na época, Ruben Eugen Becker, Leandro Eugênio Becker e Pedro Menegat, descumpriram o contrato prejudicando milhares de pessoas, não só em relação ao TEICH, mas todas as pesquisas com derivados das abelhas, que ajudavam milhares de pessoas. O contrato em relação ao TEICH estava sendo formatado pelo advogado da ULBRA na época, Domingos Moreira Góes. Porém, no intuito de beneficiar os na época reitores, o advogado criava impecilhos, alegando que tudo já tinha sido contrato no primeiro contrato, que também não foi cumprido.

Hoje, pessoas particulares e do judiciário, suspeitas de pertenceram à quadrilha dos hoje ex-reitores da ULBRA, têm dirigido-se a Robson Lippert, fazendo deboches e ofendendo-o moralmente em razão do seu problema de visão. Por tais ofensas e provocações, todos responderão por seus atos na justiça.

De outro lado, João Lippert está ingressando na Anvisa, para a pesquisa, autorização e fabricação da vacina contra a Covid-19 à base de apitixona (veneno da abelha). João Lippert pede á apicultores do Brasil, entrarem em contato via e-mail (tvsinternacional@hotmail.com) para coleta da apitoxina, para a produção da vacina.