NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES

Canoas/RS, 02 de fevereiro de 2017.

UM CONTRA QUASE TODOS
BLOQUEIOS JUDICIÁRIOS

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 50% da aposentadoria do juiz aposentado Fábio Koff Júnior, que ameaçou o repórter João Lippert.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 30% dos salários das promotoras Fernanda Ruttke Dillenburg, Ângela Caren Dal Pós, Ivana Kirst Huppes Ferrazo, Letícia Viterbo Ilges, que requereram perícias médicas psiquiátricas do repórter João Lippert.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 25% do salário da defensora pública Ivanise Maciel Deckmann.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 50% dos rendimentos de Tirone Lemos Michelin.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 30% dos rendimentos do advogado Domingos Moreira Góes.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 30% de todas as mensalidades de alunos da ULBRA - Universidade Luterana do Brasil.

Advogados do repórter João Lippert requererão na justiça, o bloqueio de 50% dos rendimentos de Ruben Eugen Becker, ex-reitor da Ulbra, 50% dos rendimentos de Leandro Eugênio Becker, ex-vice-reitor da Ulbra, e 50% dos rendimentos de Pedro Menegat, ex-pró-reitor da Ulbra.

Tais bloqueios mensais são para garantir o pagamento de indenizações ao repórter João Lippert em ações indenizatórias que já estão em tramitação e outras que estão em processo de formatação.

Em relação ao ex-juiz Fábio Koff Júnior, o mesmo disse em Visto em Gabinete, insinuou que João Lippert sofria de alguma moléstia mental e para isto estaria tomando providências. Após o Visto em Gabinete, João Lippert, por determinação judicial, realizou perícia médica no Instituto Psiquiátrico Forense e possui laudo constando não sofrer de nenhuma moléstia mental e ser totalmente capaz de seus atos. Fábio Koff Júnior, ainda quando juiz, telefonou do Foro de Canoas para o celular particular de João Lippert na época, intimidando-o, constrangendo-o e ameaçando-o, abusando de sua autoridade de juiz. Fábio Koff Júnior já responde processo criminal.

Veja o Visto em Gabinete de Fábio Koff Júnior.
Veja a primeira denúncia contra Fábio Koff Júnior.
Veja o Laudo Forense realizado por João Lippert.

Em relação à promotora pública Fernanda Ruttke Dillenburg, foi a mesma que requereu a perícia médica de João Lippert no Instituto Psiquiátrico Forense, a qual foi determinada pelo juiz P.T.C.L. Fernanda Ruttke Dillenburg já responde processo indenizatório.

Em relação às demais promotoras públicas, Ângela Caren Dal Pós, Ivana Kirst Huppes Ferrazo e Letícia Viterbo Ilges, mesmo sendo sabedoras da perícia médica já realizada por João Lippert no Instituto Psiquiátrico Forense e da existência do laudo que comprova que João Lippert não tem nenhuma moléstia mental, mesmo assim as promotoras requereram mais perícias médicas de João Lippert.

Em relação à defensora pública Ivanise Maciel Deckmann, a mesma ofendeu, constrangeu, humilhou, abusou de sua autoridade como defensora e tentou desestabilizar João Lippert e seus filhos em atendimentos na defensoria pública em relação à realização da perícia médica de João Lippert no Instituto Psiquiátrico Forense.

Em relação à Universidade ULBRA, a mesma rompeu contrato de trabalho com João Lippert e ficou com os equipamentos desenvolvidos pelo mesmo, impedindo que fossem retirados da Universidade.

Assista aos vídeos de pesquisa de João Lippert e veja os equipamentos citados.

Em relação aos hoje ex-reitores da Ulbra, Ruben Eugen Becker, Leandro Eugênio Becker e Pedro Menegat, os mesmo estão envolvidos em diversas perdas e danos morais e financeiros que sofreu João Lippert, seus filhos e suas empresas.

Em relação a Tirone Lemos Michelin, o mesmo já responde processo indenizatório.

Em relação a Domingos Moreira Góes, ex-advogado da Ulbra, o mesmo chamou João Lippert de louco em público e esteve envolvidos em todos os danos causados pela Ulbra e seus reitores na época a João Lippert.

Outros bloqueios ainda poderão ser requeridos na justiça de outras pessoas e empresas que causaram perdas e danos morais a João Lippert, seus filhos e suas empresas.