NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES

HOTEL PLAZA (PORTO ALEGRE/RS)

Em 1999 em seguida da destruição da Unidade de Ensino IESES Novo Hamburgo, que foi totalmente destruída por cerca de oitenta homens, ainda à noite, cerca de quarenta homens acompanhados pelo empreiteiro da obra Edson Freitas Carpas, tentaram invadir a propriedade em residia João Lippert na época, situada a Rua Peru 785 em Canoas. Tal invasão e ataque à vida de João Lippert e seus filhos foi impedida pelos três seguranças de João Lippert na época, Paulo Astor Eifler Cordeiro, Almiro Campos Ventura e Gonçalves (falecido).

João Lippert então foi com sua família e os seguranças para o Hotel Plaza São Rafael em Porto Alegre, enquanto eram agilizadas passagens aéreas para Portugal, seguindo conselhos da própria fundação européia que suportaria as obras do Instituto IESES no Brasil.

Entretanto, no Hotel Plaza São Rafael, João Lippert recebeu ameaças de Edson Freitas Carpa. Após João Lippert, seus filhos, esposa na época e seus seguranças estarem instalados nos apartamentos, Edson Freitas Carpas chegou ao hotel, com cerca de trinta a quarenta homens em um ônibus, que aguardavam na rua, pediu para que a recepção passasse ligação para o apartamento de João Lippert, e ao falar com João Lippert, Edson Freitas Carpa disse que se João Lippert não deixasse o hotel, Edson Freitas Carpa e os homens que o acompanhavam iriam invadir o hotel e destruir tudo.

Com isto, a administração do Hotel Plaza São Rafael, mesmo João Lippert pagando pelas estadias, determinou que João Lippert, seus familiares e segurança deixassem o hotel, e para obrigar João Lippert a tal, o hotel cortou o suprimento de água e energia elétrica do andar dos apartamentos em que estava João Lippert e sua família.

João Lippert foi obrigado a deixar o hotel e retornar para sua residência na época, contando apenas com a proteção de seus três seguranças.

O ATUAIS PROPRIETÁRIOS DO HOTEL PLAZA DE PORTO ALEGRE DEVERÃO
PRESTAR ESCLARECIMENTOS À JUSTIÇA!