NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES

Canoas/RS, 03 de outubro de 2017.

QUEM É JAIME VALVERDU

No ano de 2006, João Lippert procurou o advogado Jaime Valverdu (OAB/RS 28.405) no escritório do advogado localizado a Rua Cândido Machado nº 359 no Centro de Canoas, para ver a possibilidade de o advogado atuar a favor de João Lippert no processo em relação ao imóvel da Rua Peru 785 em Canoas, onde residia na época João Lippert e seus filhos. Porém, Jaime Valverdu disse que não poderia atuar no processo porque tinha ligação com a ULBRA - Universidade Luterana do Brasil e não poderia atuar com seus reitores.

No ano de 2008, João Lippert voltou ao escritório do advogado Jaime Valverdu, para que o mesmo atuasse em um processo que tramitava contra João Lippert, processo instaurado pela promotora pública Fernanda Ruttke Dillenburg em razão de João Lippert ter denunciado ao Ministério Público Estadual de Canoas o sequestro que sofreu em 23 de janeiro de 1999 (veja a denúncia do sequestro). Sequestro cometido por Tirone Lemos Michelin e segundo o próprio, o crime era a mando dos reitores da ULBRA na época, Ruben Eugen Becker, Leandro Eugênio Becker e Pedro Menegat.

(Leia o relato do sequestro)


Ruben Eugen Becker - Leandro Eugênio Becker - Pedro Menegat

Jaime Valverdu agendou data e horário para reunião na presença de seu sócio, do qual não possuímos o nome. Na reunião com os dois advogados, os mesmos alegaram que não poderiam atuar no processo até ter o resultado do laudo pericial que fora determinado João Lippert realizar no Instituto Psiquiátrico Forense em Porto Alegre. Os advogado ainda disseram que o laudo forense iria ser uma cartão de visitas para João Lippert, que poderia ser ótimo ou péssimo.

Após a realização do laudo forense e o mesmo ser juntado ao processo, constatando que João Lippert é totalmente capaz de seu atos e não apresenta nenhuma moléstia mental (veja o laudo), João Lippert procurou novamente o advogado Jaime Valverdu. Porém, o advogado disse que não iria atuar no processo pois os reitores da ULBRA estavam envolvidos e que não seria bom para o advogado.