NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES

EX-JUÍZES CORREGEDORES
LUCIANO ANDRÉ LOSEKANN E ANTÔNIO VINÍCIUS AMARO DA SILVEIRA

Quando João Lippert denunciou à Corregedoria Geral da Justiça do Rio Grande do Sul, o juiz na época Fábio Koff Júnior por abuso de autoridade, intimidação e ameaça, a denúncia ficou aos cuidados do juiz corregedor na época Luciano André Losekann. Contudo, o juiz corregedor simplesmente arquivou a denúncia e nada aconteceu com juiz na época Fábio Koff Júnior em relação a infração que cometeu. O juiz corregedor na época Luciano André Losekann ainda enviou ofício a João Lippert informando que a matéria era de cunho juristicional e que João Lippert deveria efetuar seus pedidos por meio de advogado.

Clique aqui e veja o documeto!
Clique aqui e leia a representação à Corregedoria Geral da Justiça protocolada em 20/10/2006!

Não concordando com o simples arquivamento da denúncia, João Lippert protocolou documento ao corregedor-geral na época, desembargador J.L.D., que determinou que a denúncia e outras feitas por João Lippert à Corregedoria fossem desarquivadas e determinou a juíza corregedora Vera Lúcia Fritz Feijó, que fez nada mais do que rearquivar todas as denúncias feitas por João Lippert.

Já no ano de 2008 mudou o corregedor-geral de justiça e vários juízes corregedores na Corregedoria Geral da Justiça do Rio Grande do Sul. Com isto, João Lippert teve esperança nos novos corregedores e que o mesmo poderia finalmente encontrar justiça. Assim, as denúncias já feitas por João Lippert foram novamente encaminhadas à Corregedoria, ficando sob cuidados do juiz corregedor na época Antônio Vinícius Amaro da Silveira, que agendou reunião com João Lippert na Corregedoria Geral da Justiça em Porto Alegre. Na reunião com o juiz corregedor, que ocorreu em 31 de julho de 2008, além de João Lippert, estava presente seus filho Robson Lippert, sua filha Keila Lippert, bem como Dionéia Rodolfo da Rosa, hoje sua esposa. O juiz corregedora Antônio Vinícius Amaro da Silveira, sem muitas explicações, disse que a Corregedoria não poderia fazer nada em relação ao juiz Fábio Koff Júnior, que a propriedade que o juiz havia determinado reintegração de posse já havia sido perdida e que nada poderia ser feito pela Corregedoria.

Ouvindo as palavras do juiz corregedor, João Lippert começou a passar mal e desmaiou no gabinete do juiz corregedor, que chamou a segurança e determinou que chamassem a SAMU. Uma secretária chamou a SAMU e João Lippert recebeu os primeiros atendimentos dos paramédicos, constando que João Lippert estava com 18x12 de pressão arterial, sendo levado para o Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, onde ficou por cerca de cinco horas sendo medicado e observado.

Após esta fato, ao retornar na Corregedoria Geral da Justiça, João Lippert e Dionéia Rodolfo da Rosa, para protocolar um documento, os seguranças da Corregedoria proibiram a entrada de João Lippert e disseram que eram ordens do juiz corregedor Antônio Vinícius Amaro da Silveira proibir a entrada de João Lippert e de sua filha Keila Cristine Lippert. Com isto, Dionéia Rodolfo da Rosa entrou para protocolar o referido documento e João Lippert teve que ficar esperando na calçada do lado de fora do prédio.

Atualmente, o que se sabe é que o juiz corregedor na época Luciano André Losekann atua na Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre e o juiz corregedor na época Antônio Vinícius Amaro da Silveira é desembargador no Tribunal de Justiça em Porto Alegre.

LUCIANO ANDRÉ LOSEKANN E ANTÔNIO VINÍCIUS AMARO DA SILVEIRA, SUAS ESPOSAS OU COMPANHEIRAS E FILHOS DEVERÃO PRESTAR ESCLARECIMENTOS À JUSTIÇA!