NOTÍCIAS PARA OS CINCO CONTINENTES

ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO

No ano de 2005, a empresa TESES - Templo Ecumênico Sagrado Espírito Santo, através de seu presidente João Lippert, contratou show da dupla sertaneja Zezé Di Camargo & Luciano, onde o show seria realizado em Gramado e teria duas finalidades: angariar recursos para a implantação do Templo TESES e angariar cerca de 10 mil quilos de alimentos não perecíveis, que seriam destinados a instituições de caridade de Canela, Gramado, Canoas e Porto Alegre.

Após diversos contatos e negociações via telefone com o empresário da dupla, na época, Silvio Luciano, o contrato do show enviado pela assessoria da dupla foi assinado por João Lippert, reconhecido em Cartório e enviado via Sedex para o escritório da dupla em São Paulo, juntamente com cheque no valor do show, que era R$ 149 mil, o qual a dupla receberia o valor integral do show doze dias antes da apresentação. 

Clique aqui e veja cópia do contrato e cópia do cheque!

A mídia em rádios já havia sido contratada e estava sendo anunciado o show. Carros já haviam sido alugados para transportar a dupla e equipe, o hotel já havia sido reservado para a dupla e equipe e os ingressos já haviam sido formatados.

Entretanto, quando tudo estava pronto para o show da dupla Zezé Di Camargo & Luciano, a dupla cancelou o show e ainda reteve o cheque emitido e enviado para pagamento do show, do qual não foi devolvido até os dias de hoje. A empresa TESES e seu presidente, João Lippert, ficaram com todos os prejuízos financeiros e abalos morais decorrentes deste ato. Uma secretária da dupla sertaneja na época, ainda alegou terem recebido via fax, uma matéria caluniosa e difamatória do Jornal de Gramado contra João Lippert. Matéria àquela, caluniosa e difamatória, publicada  em 1999, da qual o editor do jornal, Ilton Vilibaldo Muller, responde processo indenizatório.

Clique aqui e veja a matéria caluniosa!

Contudo, sem conseguir resolver de maneira amigável e extrajudicial a devolução do cheque e os abalos morais e danos financeiros sofridos, a empresa TESES, representada por seu presidente, João Lippert, tiveram que ingressar na justiça com ação indenizatória contra a dupla sertaneja, que tramita até os dias de hoje.

São suspeitos de envolvimento neste acontecimento, o ex-delegado de Canela, Luís Rogério Carvalho de Lima, a investigadora de Canela Ângela Maria Lederhós, alguns policiais de Canela, o advogado Pedro da Silva Reis, a promotora pública Vera Corino, o hoje ex-juiz Fábio Koff Júnior, Tirone Lemos Michelin e os hoje ex-reitores da ULBRA Ruben Eugen Becker, Leandro Eugênio Becker e Pedro Menegat.

ZEZÉ DI CAMARGO & LUCIANO, ESPOSAS OU COMPANHEIRAS E FILHOS DEVERÃO
PRESTAR ESCLARECIMENTOS À JUSTIÇA!