Canoas, 14 de setembro de 2018.

PROPOSTA DE CONCILIAÇÃO EXTRAJUDICIAL PARA OS ADVOGADOS ELIZON D'AQUINO COSTA E AUGUSTO CESAR CARDOSO DA SILVA

Fábio Koff Júnior deve à João Manoel Lippert a quantia de R$ 100 milhões de reais, por utilizarem o nome de João Lippert como técnico em produtos naturais com derivados das abelhas com matérias-primas sem procedência colocando em risco à saúde público, bem como por terem alegado que as fórmulas naturais com derivados das abelhas desenvolvidas por João Lippert, eram falsas e feitas por seu irmão apicultor.

Cerca de um ano antes de ingressar na ULBRA - Universidade Luterana do Brasil como pesquisador nas áreas humana e veterinária (veja os vídeos), João Lippert fez sociedade com os advogados Elizon D'Aquino Costa e Augusto César Cardoso no Laboratório Auxiliadora em Porto Alegre. Laboratório para produzir e comercializar produtos derivados das abelhas, através de fórmulas que João Lippert tinha desenvolvido na Fazenda Itacolomi em Gravataí. Como as vendas iam muito bem, os advogados perceberam que o negócio tinha potencial e decidiram tirar João Lippert na sociedade, para que os advogados ganhassem mais. Para tal, os advogados criavam muitas dificuldade e confusões na administração do laboratório, para incentivar João Lippert a não querer mais fazer parte da sociedade. Assim, os advogados Elizon D'Aquino Costa e Augusto César Cardoso propuseram a João Lippert deixar a sociedade e ser apenas o técnico responsável e fornecedor de matéria-prima purificada dos derivados das abelhas, como o veneno da abelha (apitoxina). Com tantas confusões que ocorriam na administração do laboratório, João Lippert aceitou a proposta. Porém, os advogados passaram a comprar matéria-prima de outros fornecedores não regulamentos sem o conhecimento e aprovação de João Lippert e mesmo assim, colocavam o nome de João Lippert como técnico responsável. João Lippert então denunciou o caso à RBS TV na época, que fez matéria no Laboratório Auxiliadora e foi constatado que os produtos eram mal armazenados e em locais indevidos, sem estarem aptos para uso, estando o próprio laboratório sem condição de higiene para produção dos produtos naturais. (Clique aqui e assista a matéria da RBS TV)

A indenização pode ser paga à vista com 50% de desconto ou parcelada em valores e parcelas que deverão ser acordados entre as partes. Em qualquer das duas formas, deverá o devedor depositar 10% do valor total da indenização antecipadamente como prova de boa-fé.

Seguem abaixo os dados da conta bancária para pagamento da indenização e o e-mail para contato.
Agência: 3866-0 | Conta: 21266-0 | Titular: João Manoel Lippert | E-mail: joaomlippert@hotmail.com

Se Elizon D'Aquino Costa e Augusto Cesar Cardoso da Silva aceitarem esta proposta de conciliação extrajudicial, a Televisão TVS se eximirá de publicar nome e foto dos advogados, bem como removerá nome e foto dos mesmos de todo e qualquer conteúdo em texto, imagem ou vídeo da Televisão TVS. Caso não aceite a conciliação, Fábio Koff Júnior pode ingressar na justiça para requerer remoção de seu nome e foto.


Clique aqui e leia a história de vida de João Lippert e os crimes e boicotes que sofreu.