Canoas, 10 de agosto de 2018.
(Atualizada em 14/09/2018)

PROPOSTA DE CONCILIAÇÃO EXTRAJUDICIAL PARA TIRONE LEMOS MICHELIN

Tirone Lemos Michelin, homem que sequestrou em 23 de janeiro de 1999 o diretor geral do Instituto IESES, João Lippert, deve à Fundação & Mantenedora TESES - Templo Ecumênico Sagrado Espírito Santo, mantenedora do Instituto IESES, a quantia de R$ 60 milhões de reais pelo fechamento da Unidade de Ensino IESES Sapucaia do Sul.

O sequestro que sofreu João Lippert, além de ser para impedir a implantação do Instituto IESES no Brasil, suspeita-se ter sido também uma vingança dos reitores da ULBRA na época, em razão da denúncia que fez João Lippert à Vigilância Sanitária em 1998, pelo derramamento de formol dos tanques de dessecação de cadáveres humanos e veterinários da ULBRA.

A indenização pode ser paga à vista com 50% de desconto ou parcelada em valores e parcelas que deverão ser acordados entre as partes. Em qualquer das duas formas, deverá o devedor depositar 10% do valor total da indenização antecipadamente como prova de boa-fé.

Seguem abaixo os dados da conta bancária para pagamento da indenização e o e-mail para contato.
Agência: 3866-0 | Conta: 21266-0 | Titular: João Manoel Lippert | E-mail: joaomlippert@hotmail.com

Michelin também deve confessar à justiça, por escrito e assinado, a extorsão mediante sequestro contra João Lippert em 23 de janeiro de 1999, e apontar os mandantes do crime, que Michelin havia dito terem sido os reitores da ULBRA na época, Ruben Eugen Becker, Leandro Eugênio Becker e Pedro Menegat.

Michelin também esteve na Unidade de Ensino IESES Novo Hamburgo, na porta do gabinete do diretor geral do Instituto IESES João Lippert, fazendo sinal rotativo com as mãos de que voltaria depois. Após isto, se deu uma reunião em Novo Hamburgo com o advogado da ULBRA Domingos Moreira Góes, para impedir a implantação da escola em Novo Hamburgo. Alguns dias depois, a escola foi totalmente destruída.

Tirone Lemos Michelin foi condenado pela Justiça Federal por irregularidades em convênio para ensino à distância com uso de recursos do FAT no Mato Grosso do Sul. Michelin representava a ULBRA. Michelin também esteve envolvido com o ex-vice-cônsul de Portugal, Adelino Pinto, no golpe de R$ 2,5 milhões na Arquidiocese de Porto Alegre. Juntamente com Adelino, Michelin visitou várias prefeituras e universidades gaúchas propondo parcerias.

Clique aqui e leia as matérias sobre Tirone Lemos Michelin.

Se Tirone Lemos Michelin aceitar esta proposta de conciliação extrajudicial, a Televisão TVS se eximirá de publicar nome e foto de Tirone Lemos Michelin, bem como removerá nome e foto de Tirone Lemos Michelin de todo e qualquer conteúdo em texto, imagem ou vídeo da Televisão TVS.


Clique aqui e leia a história de vida de João Lippert e os crimes e boicotes que sofreu.